Grãos tendem a abrir perto da estabilidade atentos à demanda e clima

Indique a um amigo

Chicago, 23/05/2018 - Os futuros de grãos tendem a abrir perto da estabilidade, com leve viés altista nesta quarta-feira na Bolsa de Chicago (CBOT), com atenção ao clima e à demanda internacional. A soja pode manter o otimismo das últimas sessões ante a percepção de que os chineses voltarão a comprar amplos volumes do grão norte-americano. A consultoria ARC Mercosul destacou, contudo, em boletim que nenhuma novidade dos acordos comerciais entre os dois países foi publicada até o fim do dia de ontem, o que também deixa especuladores mais apreensivos sobre qualquer posicionamento mais agressivo para as próximas sessões.

Os negócios com milho refletem o ritmo de vendas e acompanham o desempenho do trigo. Há pouco, exportadores relataram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) comercialização de 140 mil toneladas de milho proveniente de origens opcionais para a Arábia Saudita, sendo 70 mil toneladas com entrega prevista para o ano comercial 2017/18 e outros 70 mil com entrega para 2018/19. Um contrato de origem opcional permite que a procedência da mercadoria seja dos EUA, ou de um ou mais países exportadores distintos.

Já no mercado de trigo, houve recente alta por causa das preocupações com o clima em áreas produtoras do cereal no Mar Negro e na Austrália, o que pode manter a elevação de preços ou puxar alguma correção nas posições da CBOT.

No overnight, o vencimento julho da soja avançou 1 cent (0,10%), a US$ 10,3150 por bushel. O milho para julho ficou estável, a US$ 4,0475 por bushel, enquanto igual vencimento do trigo subiu 1 cent (0,19%), a US$ 5,1775 por bushel. (Nayara Figueiredo, nayara.figueiredo@estadao.com - com informações da Dow Jones Newswires).

Fonte: Broadcast Agro | Estadão

Indique a um amigo