Retomada da moagem de trigo em São Paulo levará uma semana

Indique a um amigo

A normalização do fornecimento de farinha de trigo por parte dos moinhos paulistas deverá demorar cerca de uma semana após o fim definitivo da greve dos caminhoneiros, afirmou ao Valor Christian Saigh, presidente do indicato da Indústria do Trigo no Estado de São Paulo (Sindustrigo). Os moinhos do Estado estão parados há três dias - no país, há fábricas que estão com as portas fechadas há uma semana.

Segundo Saigh, uma semana é o período estimado para a liberação dos desembarques do trigo que está nos navios atracados no porto de Santos, transporte do cereal às indústrias produtoras e escoamento da produção de farinha de trigo ao varejo e às indústrias de alimentação.

Desta forma, o mercado paulista deverá ter problemas de abastecimento por cerca de uma semana, avalia o dirigente. A falta desses produtos deve começar a ser observada a partir de segunda-feira, estima. Neste momento, apenas o varejo tem estoques de farinha de trigo e de alimentos à base do produto. "A indústria de alimentos parou de entregar ao varejo há quatro dias, e os moinhos já pararam de entregar farinha há uma semana", afirmou Saigh.

Em uma avaliação preliminar, o presidente do Sindustrigo calcula que os moinhos paulistas deixarão de faturar R$ 400 milhões. Porém, além das receitas não realizadas, há também os custos com as diárias dos navios que ficam tempo a mais atracados nos portos, lembra. 

Fonte: Valor Econômico

Indique a um amigo