Índice de preços dos alimentos da FAO cai pela primeira vez neste ano

Indique a um amigo

O índice de preços dos alimentos medido pela Agência das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) caiu 1,3% em junho, na comparação com o mês anterior, na primeira retração deste ano. O indicador ficou em 173,7 pontos, com a queda no preço de muitos produtos devido às tensões comerciais envolvendo os EUA. 

O maior recuo foi nos cereais, com queda de 3,7% na comparação mensal, para 166,2 pontos. "Apesar da piora geral das perspectivas de produção, os preços do trigo e do milho caíram em junho, seguindo tendências similares observadas na maioria das commodities decorrentes do aumento das tensões comerciais. Por outro lado, os preços do arroz aumentaram. O aperto na oferta sustentou cotações do arroz japonês", diz a FAO.

O indicador de óleos vegetais ficou em 146,1 pontos, com queda de 3%, devido ao declínio dos preços da soja, girassol e palma. Os valores dos lácteos recuaram 0,9%, na comparação mensal, com a queda nos preços dos queijos compensando o aumento do leite em pó desnatado. A manteiga e o leite em pó integral, por sua vez, ficaram estáveis. O indicador ficou em 231,2 pontos. 

No caso das carnes, os preços médios internacionais subiram 0,3%, para 169,8, em função de um pequeno aumento nas cotações da carne ovina e de porco, enquanto a bovina e a de frango recuaram. Por fim, a FAO afirmou que índice para o açúcar subiu 1,2% em junho ante maio, com 177,4 pontos, após seis meses consecutivos de declínio. O motivo foram as preocupações com a queda na produção brasileira. 

Fonte: Valor Econômico

Indique a um amigo