CBOT: soja, milho e trigo devem abrir em alta; clima nos EUA e guerra comercial no radar

Indique a um amigo

Os futuros de soja, milho e trigo tendem a abrir em alta na Bolsa de Chicago (CBOT), nesta terça-feira, com investidores atentos às condições climáticas para a safra norte-americana e a guerra comercial estabelecida entre Estados Unidos e China. A soja pode esticar os ganhos da véspera, que vieram em recuperação depois de quedas expressivas desde a imposição de tarifas chinesas sobre a oleaginosa norte-americana, em retaliação ao governo de Donald Trump.

Segundo o consultor Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, o cenário é marcada por um certo otimismo de que a reclamação da China na Organização Mundial do Comércio (OMC), realizada ontem contra os EUA, abra algum espaço de negociação entre as duas partes, uma vez que o país asiático buscou a entidade internacional em vez de impor nova rodada de retaliações.

Quanto à safra dos EUA, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que 69% das lavouras estavam em condição boa ou excelente, na semana até domingo (15) ante 71% na semana anterior e 61% um ano antes. Conforme o governo do país, 65% da safra tinha florescido, ante 45% na média de cinco anos. Ainda segundo o USDA, 26% da safra estava formando vagens, em comparação a 11% na média de cinco anos.


Para o milho, a qualidade das lavouras nos Estados Unidos piorou na semana passada. O USDA relatou que 72% da safra apresentava condição boa ou excelente, uma queda de 3 pontos porcentuais ante a semana anterior. A parcela ainda é maior do que a verificada no período correspondente do ano passado, de 64%. O USDA informou ainda que 63% da safra de milho estava formando espigas, ante 37% na média dos cinco anos anteriores.

O USDA destacou, ainda, que 80% das lavouras de trigo de primavera estavam em condição boa ou excelente, sem variação ante a semana anterior. Um ano antes, essa parcela era bem menor, de 34%. Segundo o USDA, 93% da safra tinha perfilhado, contra 85% na média de cinco anos. A colheita da safra do cereal de inverno estava em 74% da área total, de acordo com o governo do país, ante 71% na média de cinco anos.

Para os próximos cinco dias, o padrão climático continua benéfico para o cinturão agrícola norte-americano, segundo a ARC Mercosul. "Com chuvas regulares num raio de 10-25mm acumulados em cinco dias e temperaturas mais amenas, a saúde vegetal da região deverá se recuperar". No entanto, há pontos de alerta sendo criados para o fim de julho e começo de agosto.

No overnight, o vencimento novembro da soja subiu 5,75 cents (0,68%), a US$ 8,5150 por bushel, assim como o de milho para dezembro, que ganhou 4,25 cents (1,20%), a US$ 3,5950 por bushel. O trigo para setembro avançou 7 cents (1,39%), a US$ 5,11 por bushel. 

Fonte: Broadcast Agro

Indique a um amigo