Estiagem compromete safra do trigo em São Paulo

Indique a um amigo

Silvio Frateli plantou trigo em maio numa área de dois mil hectares. A lavoura vai bem nos 400 hectares irrigados. No restante, o resultado é desanimador por causa da falta de chuva.

O desenvolvimento do cereal foi desigual e, para piorar, houve o aparecimento de fungos, o que requer tratamento e acaba aumentando os custos. Os meteorologistas dizem que o inverno deve ser mais seco que em outros anos, com temperaturas mais elevadas.

Silvio esperava colher 60 sacas por hectare, mas, com a estiagem, a produtividade já caiu pela metade. Ele torce pela chuva para que a situação não piore.

No ano passado, a produção de trigo na região de Itapetininga foi de 22 mil toneladas. Em todo o Estado, chegou a 260 mil. Agora, os números caíram. De acordo com a Conab, a safra atual deve ser de no máximo 247 mil toneladas em São Paulo.

Na fazenda de Robson de Oliveira, em Quadra (SP), são 160 hectares plantados com trigo. A área não é irrigada, o que comprometeu a produção. Robson trabalha com trigo há 10 anos e conta que nunca viu uma estiagem tão forte.

A média de produção deve cair de 70 para 20 sacas por hectare. Isso se voltar a chover. Para evitar perdas futuras, ele decidiu investir em um sistema de irrigação. Pelo menos 25 hectares não vão mais depender só de chuva.

Normalmente, a colheita do trigo é feita na segunda quinzena de setembro. O agrônomo Célio José Valdrighi diz que ela deve atrasar um pouco, o que pode afetar também o plantio da soja e do milho, na safra de verão.

Fonte: G1

Indique a um amigo