Produtores argentinos podem atrasar vendas de trigo com novo regime tributário

Indique a um amigo

BUENOS AIRES, 3 Set (Reuters) - Os produtores argentinos podem atrasar vendas de trigo e podem plantar menos milho este ano, com o novo sistema tributário argentino anunciado nesta segunda-feira, disseram produtores e analistas, enquanto a produção de soja deve ser menos afetada.
O governo impôs uma taxa de 10 por cento sobre as exportações de milho e trigo, que aumentarão e diminuirão com a taxa de câmbio. "Isso irá atrasar as vendas porque os agricultores vão jogar de acordo com a taxa de exportação", disse Dave Hughes, produtor e presidente da câmara da indústria de trigo Argentrigo.

Atraso nas vendas de trigo pela Argentina pode prejudicar o Brasil, que faz grande parte de suas compras externas do cereal no país vizinho. O novo sistema tributário agrícola faz parte de um pacote de medidas proposto pela Argentina para o FMI, a fim de garantir o desembolso antecipado de caixa de seu acordo financeiro de 50 bilhões de dólares. Os fundos são necessários para acalmar os receios dos mercados sobre a capacidade do país de pagar suas dívidas no ano que vem.

Esses receios causaram, só na semana passada, uma depreciação de quase 16 por cento do peso da Argentina contra o dólar norte-americano, trazendo o recuo total para 50 por cento até este momento em 2018. Os embarques internacionais de trigo e milho serão taxados a quatro pesos por dólar de exportação, o que atualmente chega a cerca de 10 por cento. Se a moeda continuar a cair, a alíquota real irá diminuir.
A safra de trigo desta temporada já foi plantada. O milho será semeado em outubro.

 

Fonte: Último Instante

Indique a um amigo