História do trigo no Brasil

Os registros mais antigos sobre o cultivo do trigo datam de 9.000 anos atrás, no Delta do Rio Nilo com os egípcios. Desde então, tem feito parte da alimentação humana sendo consumido por diferentes povos e civilizações.

No Brasil, o cultivo de trigo se deu em 1534 quando Martim Afonso de Souza, considerado o primeiro fazendeiro e fundador da agricultura neste País, começou a cultivar o grão em seu latifúndio, em São Vicente. As primeiras matrizes vieram nas caravelas junto com ferramentas, animais e mudas de cana-de-açúcar.

A produção de trigo era primordial para garantir a existência de pães para a pequena vila e das hóstias para as missas. A agricultura também foi uma forma de ocupar o enorme território recém descoberto e o proteger das constantes invasões de outras coroas exploratórias.

A região a qual o cereal melhor se adaptou foi o Rio Grande do Sul, mais especificamente em São Pedro, onde as condições climáticas eram mais favoráveis, expandindo-se posteriormente por toda a região sul.

Em São Paulo, o cultivo do trigo era mais fácil do que em São Vicente por conta das condições climáticas mais adequadas. Em pouco tempo a produção se expandiu para Atibaia, Bragança Paulista, Araçariguama e gerava excedente para Santos e o Rio de Janeiro.

Fernão Pais de Barros, senhor de 1.200 índios tupis-guaranis escravos, é considerado o pioneiro na exportação do trigo para Portugal. Entretanto, a produção no Brasil só se firmou a partir do século XIIX, por influência da migração portuguesa, alemã, italiana, ucraniana e polonesa para os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Estados que, aliás, até hoje são os maiores produtores do País.

A farinha de trigo era mais rara do que a de mandioca, produto mais comum e de uso dos indígenas. No entanto, aumentou a procura pela farinha de trigo quando a coroa portuguesa se mudou para o Brasil e abriu os portos para os produtos vindos da Europa. Isso porque os imigrantes já estavam acostumados com a farinha de trigo. O crescimento do número de estrangeiros também propiciou o aumento de padeiros e padarias.

Nos dias de hoje

São quase 500 anos de história de cultivo de trigo no país e segundo o Ministério da Agricultura, hoje no Brasil o cultivo se dá principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste com uma produção média de 6 milhões de toneladas por ano e consumo interno de 11 milhões. O déficit entre a produção e consumo é suprida através de importações oriundas principalmente da Argentina, Estados Unidos, Paraguay e Uruguay.

Em 2013, com a reativação da Câmara Setorial do Trigo no Estado de São Paulo, foram retomadas as discussões com todos os agentes da cadeia produtiva com o objetivo de identificar e solucionar os principais entraves na produção de trigo no estado. Segundo o Instituto de Economia Agrícola e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (IEA/CATI), as safras de 2012/2013 e 2013/2014 registrou-se a expansão da área cultivada em 31% e elevação da produção em 66%, respectivamente, 72,74 mil hectares e 231 mil toneladas.