Notícias do Sindustrigo

Valnei Origuela assume o cargo de presidente do Sindustrigo

O Sindicato da Indústria do Trigo no estado de São Paulo (Sindustrigo) conta com uma nova diretoria executiva, constituída em eleição realizada em abril. Com mandato até abril de 2022, Valnei Vargas Origuela assume o cargo de presidente da entidade, que atualmente representa 10 dos principais moinhos do estado.

Com 37 anos de história no segmento moageiro, Origuela concedeu uma entrevista exclusiva ao Sindustrigo News, quando falou sobre suas expectativas para essa nova missão, analisou o mercado e a atuação do Sindicato nos assuntos de interesse do setor.

Sindustrigo News: Como você analisa o mercado atual e os impactos causados ao setor moageiro paulista?

Valnei Origuela: O setor lamentavelmente não passou impune por essa crise enorme que atingiu o Brasil. Eu diria que nosso setor ainda demorou um pouco para ser impactado, mas sofremos muito com esse momento do país.

Estamos vivenciando um período de bastante cautela e necessidade de observação e, como representante, minha principal tarefa é estar junto aos associados e analisar as oportunidades, como instituição, para sairmos desse cenário.

SN: Qual o principal desafio do setor, em sua opinião?

VO: Sem dúvida, nossa mais premente dificuldade é a queda do consumo que está diretamente relacionada ao desemprego e à perda de renda da população. Esse fator tem afetado os nossos negócios de forma preocupante. Já são três anos que o setor moageiro brasileiro acumula perdas expressivas de rentabilidade.

SN: Dentre os assuntos em pauta no cenário político e econômico do país, quais o você aponta como de importância para o setor?

VO: Podemos destacar as reformas que estão em pauta no Governo Federal como assuntos que merecem atenção, principalmente em São Paulo, pois atendem uma necessidade do estado em relação a questões tributárias.

O estado de São Paulo é o destino de farinhas produzidas em moinhos de outras unidades da federação por conta, em grande parte, dos casos de práticas tributárias que não observam a necessária isonomia. Somos favoráveis à livre concorrência e entendemos que as eventuais distorções devam ser corrigidas.

Como há uma enorme capacidade ociosa dos moinhos paulistas, este, seguramente, será um dos temas sobre o qual manteremos a mais estrita atenção.

SN: Como o você analisa a qualidade e a produção de trigo no estado de São Paulo?

VO: A necessidade da compra de trigo oriunda de outras regiões, por parte dos moinhos paulistas, é um dos pontos que também merece a atenção do Sindicato.

Podemos destacar o excelente trabalho promovido pela Câmara Setorial que, desde 2013, tem refletido diretamente no aumento da produção, na melhora da qualidade do grão cultivado no estado e possibilitado a compra de matéria-prima com preços mais atrativos tanto para a indústria quanto para o produtor paulista.

As ações conjuntas da Câmara Setorial e do Sindustrigo, junto ao setor agrícola, resultaram em inegáveis benefícios para toda a cadeia. Vamos continuar investindo nesse esforço conjunto acreditando nos efetivos ganhos de rentabilidade dos moinhos de trigo e sempre com o inarredável compromisso com a qualidade dos produtos oferecidos aos nossos clientes.

SN: Em relação às tendências do mercado, como analisa os constantes ataques ao glúten?

VO: Acredito que precisamos estar atentos à desinformação. Nosso trabalho é informar o mercado, de maneira fundamentada em dados científicos, para que as distorções não comprometam o papel do trigo como fonte de energia na alimentação humana.

Vamos corrigindo os equívocos pontualmente, com informações reais e de relevância.

SN: Como analisa a atuação do Sindustrigo junto ao setor e como pretende seguir nesta nova fase?

VO: O Sindicato tem tido bastante protagonismo junto aos associados. Pretendemos dar continuidade a esse acompanhamento, sem perder o foco, de maneira proativa e seguindo em conformidade com as necessidades dos associados.

Temos uma entidade relativamente heterogênea, com a presença de multinacionais, moinhos familiares, pequenos moinhos altamente especializados e moinhos profissionalizados. Quando promovemos a união desse público, em um grupo técnico, por exemplo, temos uma equipe multidisciplinar fantástica apta a discutir ações relevantes, apontadas por personagens que estão no dia a dia do setor.

SN: Por fim, qual é a mensagem do novo presidente do Sindustrigo aos associados a entidade?

VO: Sou um apaixonado pela atividade. Com um leque de aplicações gastronômicas incomparável, a farinha de trigo está presente em todos os continentes. É um alimento que acompanha a história da humanidade e, por essa razão, possui extrema importância.

É indispensável dizer que a garantia da perpetuidade e do crescimento do consumo saudável de farinha de trigo estará sempre e, inevitavelmente, ligada à garantia da boa rentabilidade da operação dos moinhos de trigo!

Esse deve ser FOCO das ações do Sindustrigo!


COMPARTILHE: