Notícias setorial/mercado

Safra de grãos tem previsões de alta no Brasil

São Paulo – A colheita de grãos brasileira pode ter alta de 3,1% em 2019, segundo projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção deve crescer 4,2% no ano safra 2018/19. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (10) pelas duas instituições. A diferença nos números ocorre porque a Conab adota o conceito de ano-safra, que começa em setembro de um ano e termina em agosto do seguinte. Já o IBGE considera o ano civil.

Neste 4º levantamento da safra de grãos da Conab a estimativa é de uma colheita de 237,3 milhões de toneladas. Já a área plantada está prevista em 62,5 milhões de hectares, um aumento de 1,2%, em relação à safra 2017/18.

Entre os produtos que apresentaram crescimento estão o milho primeira safra, que teve aumento de 0,4% na área cultivada e pode atingir produção de 27,5 milhões de toneladas. Quando somadas as duas safras do grão, o crescimento passa para 12,9% sobre o ciclo 2017/18, registrando uma produção de 91,2 milhões de toneladas.

Para a Conab, o algodão também é destaque no período, com concentração do plantio em janeiro, e um crescimento superior a 25,3% na área e de 20,3% na produção. Na primeira safra do amendoim, a variação positiva é de 10% em relação à safra passada, e a colheita pode chegar a 551,7 mil toneladas.

Para a soja, se a projeção é positiva em 1,7% na área de plantio, mas a produção tem expectativa de queda de 0,4%, para 118,8 milhões de toneladas. Já o arroz deve ter uma colheita 7,1% menor, com 11,2 milhões de toneladas. O feijão primeira safra tem declínio de 7,7% na área em relação à safra passada e produção estimada em 1,1 milhão de toneladas.

A companhia citou ainda dados do encerramento da safra das culturas de inverno, em dezembro, o que inclui aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale. A Conab apontou resultados melhores do que na safra passada, mesmo com as adversidades climáticas nas principais regiões produtoras. A produção de trigo ficou 27,3% superior à safra anterior, chegando a 5,4 milhões de toneladas.

IBGE

O número do IBGE é o terceiro prognóstico para a safra 2019 (janeiro a dezembro) e inclui a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, que foi estimada em 233,4 milhões de toneladas. Segundo o instituto, o crescimento deve-se, principalmente, às maiores estimativas de produções do milho, que cresceu 8,4% em relação ao ano anterior; caroço de algodão, com produção de 5,3 milhões de toneladas, 6,6% maior que a de 2018; e soja, 118,8 milhões de toneladas, número que é 0,8% maior do que o de 2018. As culturas em queda são arroz e feijão.

Já quanto à área a ser colhida, a previsão é de 62,2 milhões de hectares, 2,1% a mais que na safra anterior. Em 2018, segundo o IBGE, o Mato Grosso liderou a produção nacional de grãos, seguido pelo Paraná e Rio Grande do Sul.


Fonte: ANBA


COMPARTILHE: